Blog

A estratégia “TI Bimodal” de Gerenciamento de Projetos

TI BI Modal

Por Eneida Xavier

Gerenciar projetos de TI requer enfrentar grandes desafios, como entregar soluções aos clientes com maior disponibilidade e agilidade, garantindo a qualidade. Para isso, cada vez mais surge a necessidade de unir dois modos de gerenciamento, que permitam, simultaneamente, a estabilidade para conduzir os projetos, bem como a diminuição do tempo de resposta com ações mais rápidas, de acordo com a situação apresentada.

A “TI Bimodal” é um conceito desenvolvido pela Gartner Group em 2013. Sugere uma forma de gerenciar as áreas de tecnologia de uma empresa através de dois caminhos separados e coerentes para entrega de resultados. Um focado na estabilidade e outro na agilidade. O Modo 1 é tradicional e sequencial, enfatizando segurança e precisão. O Modo 2 é exploratório e não linear, enfatizando agilidade e velocidade ”. Uma empresa atualmente para sobreviver, precisa absorver rapidamente as mudanças relevantes do mercado, fazer adaptações, inovar.

PMO Bimodal

Na última década, os gerentes de projetos tiveram de escolher entre métodos de execução “Tradicionais” ou “Ágeis”. Mas hoje, ao invés disso, os PMO’s estão adotando a abordagem “Bimodal” para programas e gestão, implementando mais de uma metodologia para gestão de projetos. Algumas práticas ágeis são fundamentalmente diferentes das práticas de gerenciamento tradicionais. No entanto, não são mutuamente exclusivas. Várias práticas podem ser combinadas para um melhor gerenciamento de projetos.

“PMO’s e líderes de gerenciamento de projetos de TI estão se esforçando para adaptar os processos de governança para lidar com novos e ágeis esforços do Modo 2 que não estejam em conformidade com as estruturas tradicionais de gerenciamento de projetos”, disse Donna Fitzgerald, vice-presidente de pesquisa do Gartner. “Um foco no resultado e valor do negócio irá preencher a lacuna entre os projetos do Modo 1 e do Modo 2.”
Os dois modos de TI existem simultaneamente, a presença de um não elimina a do outro e ambos se complementam.

FIXE-TI-bimodal

O Gartner identificou três práticas recomendadas para permitir que os PMOs gerenciem melhor qualquer tipo de projeto ou programa de TI dentro do portfólio:

  1. Use uma abordagem simples para determinar qual modo faz sentido para um projeto.

Determinar o modo de usar em um projeto muitas vezes tem mais a ver com a cultura da empresa do que qualquer outra coisa.

“Embora o Modo 2 possa teoricamente ser aplicado a qualquer novo projeto, o Gartner recomenda uma construção simples: considere o Modo 1 para sistemas de registro e o Modo 2 para sistemas de diferenciação e sistemas de inovação”, disse Fitzgerald.

Um sistema de registro é um sistema central que uma organização usa para administrar seus negócios, como aplicativos financeiros ou fornecimento de e-mail. Embora seja vital para as operações da empresa, ele não fornece nenhuma vantagem competitiva, sendo classificado como Modo 1.

Os sistemas de diferenciação são geralmente projetos do Modo 2, porque seu valor reside no fornecimento de capacidades que os concorrentes não possuem. A natureza exploratória dos projectos do Modo 2 é importante para o seu sucesso a longo prazo.

Um sistema de inovação precisa de uma abordagem de Modo 2 porque é uma idéia nova e não há uma maneira estabelecida de planejar os detalhes do que será feito.

  1. Definir o resultado esperado do negócio como a medida do sucesso do projeto.

Parte do problema com a determinação de como medir o valor de um projeto do Modo 2 reside na maneira como atualmente medimos os projetos do Modo 1.
Os projetos do Modo 2 são exploratórios e podem não ter uma lista óbvia de recursos para definir seu sucesso desde o início.

  1. Claramente, Separar a Governança de Portfólio e Projetos para Governança Bimodal é Mais Fácil

A área final onde muitos PMOs lutam é como garantir que eles mantenham uma abordagem consistente para governar o projeto uma vez que ele começou. “Coloque a responsabilidade do projeto com as pessoas que podem praticamente fazer as coisas acontecerem”, disse Fitzgerald. “Colocar a responsabilidade pela carteira de investimentos com as pessoas que têm autoridade para tomar decisões em toda a carteira.”

“Independentemente do modo, o PMO apóia a governança através de relatórios sobre o progresso em direção à entrega bem-sucedida”, disse Fitzgerald. Este critério garante uma abordagem consistente entre os projetos de Modo 1 e Modo 2.

“As organizações de projetos de TI bimodais devem adotar uma abordagem mais centrada no resultado para o gerenciamento de projetos”, de acordo com a Gartner.

A implantação de uma estratégia de TI Bimodal deve ser planejada e bem estruturada, para assegurar ao projeto maior assertividade. Adotar TI Bimodal não significa eliminar os padrões de qualidade e procedimentos que a empresa já adota com segurança, mas sim adaptar as funções de cada equipe a um modelo mais colaborativo e interativo, de modo que todos os colaboradores envolvidos se convertam a uma nova cultura, que afetará toda a empresa, pois seus reflexos não se darão somente na área de TI, mas sim na forma como são feitos todos os negócios, aproveitando uma TI mais ágil, flexível e focada em otimizar recursos para gerar receita e não mais custos.

Dentro deste conceito as empresas precisam se preparar para transformações frequentes, pois as mudanças que ocorrem com a evolução das necessidades dos clientes impactam diretamente na forma de fazer negócios. Devem-se monitorar constantemente os resultados para buscar o aperfeiçoamento contínuo.

A estrada rumo a um futuro digital requer das empresas ações transformadoras de TI por meio de inovação disruptiva, ao mesmo tempo em que continua a ‘fazer negócios como sempre’ no nível de excelência esperado. Cassio Dreyfuss, vice-presidente de pesquisas do Gartner.

Referências

Mais detalhes em: “Effective Governance of Bimodal IT Projects Requires Adopting a More Outcome-Centered Approach.” (http://www.gartner.com/newsroom/id/3036017)

Você também pode encontrar mais conteúdo em:

http://computerworld.com.br/dez-coisas-que-voce-deveria-saber-sobre-ti-bimodal

http://www.pmi.org/certification/agile-management-acp.aspx
https://www.pmisp.org.br/acervo/e-news/144-noticias/e-news/2016-03-conteudos/2422-2016-03-conteudos-tendencia-ti-bimodal

PMI-ACP, Second Edition, Chapter 1: Agile Principles and Mindset

Abrange abordagens para o Agile como Scrum, Kanban, Lean, Extreme Programming (XP) e desenvolvimento orientado a testes (TDD).

Sobre o Autor

Eneida EngelbrethEneida Xavier Engelbreth. Arquiteta. Cursou MBA em Gestão de Projetos na Fundação Getúlio Vargas (FGV). Possui Certificação Scrum Master pela Scrum Alliance. Consultora em Gestão de Projetos e Processos. Possui experiência como Gerente de Programa e Projetos de Tecnologia no ITAUBBA, Gerente de Projetos do PMO na CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Gerente de Projetos em Consultoria para o PMO do Bradesco; Gestão da qualidade e Processos no PMO do CITIBANK. Docente de pós-graduação em Gerenciamento de projetos.

 

Gostou?? Compartilhe!!

 

Compartilhe esse post:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Publicações

Categorias

_

Tags

Rolar para cima