Blog

O perfil do profissional que as empresas procuram no mercado

Você sabe onde quer chegar? sabe se está no caminho certo? o que está fazendo para isso? Veja os conselhos de como você deve-se preparar para ser o profissional que as empresas procuram no mercado.

Tive a oportunidade de ler na revista Estudos e Negócios uma matéria escrita por Arnaldo Hase onde comenta as perguntas e respostas de uma mesa-redonda aberta que tratou este assunto. Uma das convidadas foi a Professora Paulette Alberis Alves de Melo, considerei muito oportunos seus comentários para a realidade atual e fiz um resumo.

 

Com relação a quais são as características desejadas pelas empresas do Brasil em relação ao perfil profissional, a professora Paulette comentou:

 

Os profissionais precisam ter competências que sejam canalizadas para a geração de negócios para a empresa. São pré-requisitos: agilidade, coletividade e capacidade de gerar valor agregado ao produto. O profissional hoje precisa ser multifuncional, ter habilidade para trabalhar em equipe e ter uma série de atitudes resultantes de uma vertente ética pesada. Que seja capaz de compatibilizar inteligência, experiência e expertise, transformadas em valores éticos, e que tenha uma visão global mesmo que ele não trabalhe fora do país. Ao lado disso, ele precisa ser capaz de entender as estratégias de sua empresa, capaz de se auto-liderar a ponto de fazer parte dos grandes desafios que as empresas enfrentam, que são produzir mais com cada vez menos recursos de forma sustentável, recorrente, com responsabilidade social e respeito ao meio-ambiente. Estes são os caminhos que temos que tentar completar. Isso é o que cada um de nós terá que prover para garantir a própria empregabilidade. Eu preciso de uma empresa que seja socialmente justa, ambientalmente responsável e economicamente viável.

 

Quando olhamos para a realidade das empresas, precisamos de alguém que seja capaz de se auto-liderar para poder remar contra a correnteza e ser ético; garantir a sobrevivência da sua empresa e gerar valores de forma recorrente sustentável, de forma a gerar cada vez mais resultados com cada vez menos recursos. Cidadania, responsabilidade social e mais respeito ao meio-ambiemte.

 

E como eu me capacito para garantir isso para a minha empresa? Investindo no meu auto-desenvolvimento. O profissional precisa ter um nível de compromisso emocional tal que consiga auto-liderança, enriquecendo a si próprio, enriquecendo o ambiente e fazendo um ciclo contínuo.

 

De fato, pela primeira vez as pessoas têm na história a oportunidade de se auto-liderar, por isso precisamos buscar conhecimento e investir em nós próprios. Gerar as atitudes, expertise, o trabalho em equipe, energia e compromisso emocional a partir de ‘mim’. E fazer com que isso se transforme em compromisso social. Desafios que são do nosso tamanho e que nós podemos confrontá-los. Nós somos capazes.

 

As empresas contratam pela atitude, porque as atividades somos capazes de desenvolver. Precisamos sair da descrição do cargo e ir para a ação. É a atitude emocional que faz a diferença. O quanto de amor eu coloco no trabalho. 


Muitas vezes o profissional se prepara com seus estudos, pós-graduação, cursos, idiomas e quando chega ao seu objetivo dentro de uma empresa, se acomoda. Nós temos que estar sempre atentos para o fato de estarmos vivendo no século da velocidade. A neurose da velocidade está sendo paradigmática para nós, mas em relação a pessoas, tenho que plantar e regar todos os dias. Isso que o profissional que entra na empresa tem que saber: tem que plantar e regar durante muito tempo.

 

É assim que quando olhamos para um cenário de incertezas, bate aquele medo, aquela coisa de “para onde eu vou, será que estou no caminho certo?”…. Vou citar a frase de um filósofo: “Vá na direção em que seu medo cresce”. Você tem medo?.. Encare e brigue com coragem.

A professora Paulette Alberis Alves de Melo é formada em direito, pós-graduada em Administração de Instituições Financeiras pela FGV, MBA em Gestão Empresarial também pela FGV, mestre em Administração pela Universidade IMES, superintendente regional do ABC do grupo Santander Banespa, professora da FGV/Strong, e atuante por 10 anos como presidente da ONG “trabalhando com Responsabilidade Social”.

Gostou?? Compartilhe!!

 

Compartilhe esse post:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

58 comentários em “O perfil do profissional que as empresas procuram no mercado”

  1. Ola, Moro no japao a 20 anos , tenho 34 anos e estou pensando em retornar para o Brasil pra morar, sou casado e tenho 2 filhos.
    A minha preocupacao e, que eu nao tenho formacao universitaria . mas trabalho a 7 anos em uma escola de idiomas aqui no Japao falo ingles , japones fluente , Tenho um cargo de gerencia e tenho conhecimento na area de RH e administracao.
    Mesmo nao tendo o nivel superior eu consigo um bom emprego?

    Muito obrigado.

    1. Olá Cristiano,
      O que pesa na definição do sucesso profissional são suas habilidades, suas competências e seu potencial de inovação e criatividade.Quanto maior o desenvolvimento delas, maior suas chances de conseguir melhores posições. Considero que a melhor forma de desenvolver elas é estudando muito, muito e aprendendo constantemente, a vida toda.
      Espero ter ajudado.

      Grande abraço e sucesso sempre!

  2. Daniel da Silva

    Muito bom, gostei muito do resumo, será muito útil para rever meus objetivos e fazer certas mudanças no meu planejamento de carreira profissional.

  3. eliane rocha netto

    …oi,,,meu nome é eliane , sou de Pelotas , RS , trabalho em um hospital da cidade , precisamente hoje 04/03/2013, chego para trabalhar , minha supervisora do turno da noite , me chama e me diz , que eu não tenho perfil para trabalhar mais no hospital…eu respondi para ela , um bastante surpresa , não tenho perfil ,….?….fazem 4 anos que trabalho aqui ,não faltoaoserviço ,chego no horário , cumpro com minhas funções, realizo os procedimentos de enfermagem com todo o meu amor ,gosto do que eu faço , gosto da minha profissão…escolhi a enfermagem para cuidar de pessoas que naquelemomento de dor ,querem ouvir também uma palavra amiga , atéporque não estou ali para apenas medicar e sim para confortá-lo….mas como não sou puxa-saco e tenho muita ética na mi
    inha profissão ,não me tenho o custume de me submeter a pessoas ou certas coisas,,,!!!…..entrou um funcionario que é supervisor noturno e primo do diretor do hospital…no meio do mês ,recebemos vales transportes e os meus vales não vieram ..eu questionei o porque e ele me respondeu que não sabia …enfim fiquei sem receber toda a semana , na semana seguinte , também questionei….mas ele achou que era uma afronta , porque eu era negra e teria que esperar o próximo mês, questionei a minha chefia , pois preciso dos vales para ir trabalhar,,,por esse questionamento fui chamada pela chefia , e fui demitida pelo hospital ,,,, e a explicação …..meu perfil não condiz mais com aquele hospital…. e ai a minha pergunta …?, será que o meu perfil para esse hospital teria que ser eu ficar calada ,nao exigir os vales que eu tenho direito.., nao questionar quando eu iria receber os vales.., !!!….desde ja agradeço…obrigada….espero resposta..!!

    1. Olá Eliane,

      Vendo de longe e pelo que você comenta, eu penso que o fato não está no que você reclama, e sim na forma como você está solicitando seu reclamo.
      O que me deixa em dúvida do seu comportamento é o que você mesma disse: Não costumo me submeter … penso que poderia estar por aqui seu problema.
      Sugiro que solicite uma conversa com o responsável de RH do Hospital e peça, de forma educada e respeitosa, a indicação de quais características do seu perfil não se adequam mais ao cargo para você procurar melhorar nesses quesitos para seu próximo emprego.
      Também, recomendo procurar um livro sobre Relacionamento interpessoal no trabalho.
      Espero que meu conselho seja útil e espero seus comentários dos resultados.

      Muito sucesso sempre!!

      Abraços!

  4. O mercado de trabalho está exigindo muito mais do que um boa formação acadêmica e ética. Mais do que isso é preciso atender completamente ao perfil da empresa. É legítimo que as empresas estabeleçam um perfil, desde que o mesmo não restrinja e limite as pessoas dentro de uma única vertente ideológica.

    Majoritariamente, o Brasil ainda é um importador de serviços e tecnologia e hoje o mundo é globalizado, então aprender outras línguas é mais que necessário.

  5. Tenho algumas considerações a fazer.

    Não são muitas empresas que buscam profissionais com as características citadas.

    Pelo menos não na realidade brasileira.

    Se o futuro direciona a busca por profissionais medindo sua atitude, hoje (é o que tenho observado, quanto caçador de oportunidades) ainda é a experiência comprovada e a qualificação que conta. Somente o desejo de realizar, de estufar o peito e encarar o touro de frente, de se especializar praticamente são descartados.

    O mercado tem buscado o profissional pronto. Que sentará em sua cadeira e começará a produzir desde a primeira hora do início de suas atividades; sem necessidade de treinamentos e adaptação.

    O mercado brasileiro ainda não está preparado para a velocidade com que as coisas estão acontecendo e evoluindo. Muitas empresas ainda selecionam e tratam seus trabalhadores como se estivessem ainda na era industrial.

    Se alguém tem opinião própria, discernimento, senso crítico para saber quando dizer não a uma tarefa que gerará algum desgaste, seja para a empresa, para os clientes ou para o meio ambiente, não é bem visto e muitas vezes nem bem quisto.

    Profissionais pensantes, principalmente os que estão na linha de frente, o chão de fábrica, são observados com desconfiança e insegurança por seus superiores. Se desenvolve algo que está além da capacidade deles, então, são sumariamente descartados.

    Ética? São poucas as empresas (em todos os ramos de atividade) que conhecem e aplicam verdadeiramente tal palavra.

    Vivi na prática as incapacidades supra citadas recentemente e digo que o medo que sinto não é do desafio e sim de ter que desempenhar papéis contrários às minhas convicções para manter minha empregabilidade; pois se tivesse agido desta forma, não estaria desempregado atualmente.

    Chefes há aos montes, mas líderes são poucos.

    Tive raras oportunidades de trabalhar com líderes. Pessoas a quem seguimos de olhos fechados. Que são tão coerentes a ponto de não criarem o constrangimento de serem questionados por seus comandados.. Quem não precisam dar ordens e que tem seus pedidos atendidos prontamente. E alguns destes nos lê em cópia.

    Interessante frisar que o ambiente da saúde, no qual trabalhei até 2011, me ensinou muito mais do que a escola.

    Mas tenho esperança que a ideia da meritocracia realmente floresça e dê a cada um segundo suas obras (Cristo já apontava o caminho há mais de dois mil anos).

    Que a “parentocracia”, o Q.I. deixe finalmente de existir.

    E que cada um possa ter um pedaço de queijo para comer.

  6. Maria Angélica, parabéns pelo blog e pelo post muito bem escrito.
    Pergunto, sempre que procuro uma colocação profissional me esbarro com a tal resposta. Você não tem o perfil que nós procuramos, afinal que perfil é esse? Como falam que tem tantas vagas de emprego ociosas e ninguém tem o tal perfil. Nós estamos correndo o risco de sermos engolidos pelos estrangeiros já que na Europa a situação está feia, em nome desse tal perfil. O que você pensa sobre isso?

    1. Olá!

      Obrigada pela participação!
      Respondendo a sua pergunta. Eu acredito que não. O nível cultural e de capacitação no Brasil cresceu muito nos últimos anos. Assim como muitos brasileiros são convidados para ir no exterior, muitos estrangeiros virão no Brasil pelo mesmo motivo. O mundo mudou, a globalização está mudando as regras. O lugar de trabalho pode estar em qualquer lugar do planeta. Considero que deve se preocupar mais em tornar seu perfil profissional mais competitivo, fazer post-graduação, MBAs, estudar idiomas, se aperfeiçoar constantemente, e “constantemente”, neste cenário de hoje significa “sempre”. Crescer. Se você pretende conseguir o mesmo que alcançou em outra época com o mesmo perfil, deve mudar esse paradigma. Como fala o post, vá na direção onde seu medo cresce, deve vencer as incertezas com ações em prol do seu crescimento. Adquirir segurança com estudo e aperfeiçoamento e não se acomodar nunca. Considero essa a fórmula de sucesso.

      Espero ter ajudado. Sucesso sempre!!
      Abraço!

  7. Olá, gostei do Blog , e principalmente do texto.
    Bom , devemos colocar amor , em aquilo que fazemos, é claro que temos que está preparado psicologicamente para lidar com as pressões e a rotina.

  8. Olá!!

    Concordo plenamente com o texto, pois, precisamos regar a cada dia nossa vida profissional – carreira, ou seja, não podemos nos acomodar no ambiente de conforto, pois, precisamos de desafios constantes em nossas vidas para nos mantermos vivos.

    Tive a oportunidade de ser aluna da Prof. Paulette Alberis Alves de Melona na Strong-FGV e, de fato, as aulas dela são uma delícia!

    Parabéns Professora, obrigada e sucesso!!!!

    Gabriela.

  9. Olá,boa noite.Me interessei pelo assunto.Gostaria de estudar sobre e me servir do assunto para dpois ajudar as empresas através de consultorias.Poderia me dizer qual o caminho a tomar?Seria administração voltado a recursos humanos? obrigado!

    1. Olá Felipe,
      Obrigada pela participação no blog.
      Acredito que primeiro deve fazer administração e depois várias especializações, humanas, comunicação, administração de conflitos… etc. Para realizar consultoria deve ter uma importante formação, especialização e experiencia.

      Muito sucesso sempre!!

      Abraço!

  10. Roberta Soares dos Santos

    Profª Paulette,

    Tive minha primeira aula com você neste sábado na FGV e isto me fez ter uma reflexão absurda sobre minha carreira.
    Há muito tempo não ouvia tão sabiamente colocadas palavras relacionadas a gestão de pessoas.

    Agradeço pela aula e tornei-me sua fã.

    Gostaria de estudar um pouco mais profundamente o tema de gestão de pessoas e lideranças.Respondendo a sua pergunta em sala de aula: eu quero sim ser o ponto fora da curva, não só pelo destaque na empresa mas por satisfação de fazer a diferença.
    O que teria para me indicar?

    Grande Abraço,

    Roberta

    1. Prezada Roberta,

      Não sou a professora Paulette, eu reproduzi uma matéria publicada pelo jornalista Arnaldo Hase, conforme indiquei no início do post. Infelizmente não tenho o e-mail da professora para você fazer sua consulta. Acredito que possa solicitar na FGV ou pedir as datas e horários que estará na faculdade para diretamente consultar com ela.

      Muito sucesso sempre!

      Abraços!

  11. Adoro o lugar onde trabalho, as pessoas.. mas.. tem sempre um mas… eu infelizmente visto a “camisa” do lugar onde estou e percebo que isso nem sempre é bem visto e não estou dizendo pelos colegas de trabalho, estou dizendo pela chefia..
    Aconteceu q mudei de setor e neste setor o serviço é mais calmo, bem mais calmo, como passava muito tempo “ociosa” uma colega me pediu ajuda e eu prontamente ajudei… qdo fui chamada na sala do chefe e ele simplesmente disse que não era para eu ajudá-la, que era p/ eu fazer o meu serviço e só. Fui falar com a minha colega e disse q não poderia mais ajudá-la, ela me disse q tb foi chamada para conversar e q ele havia dito q se eu estivesse sem fazer nada era para ficar assim mesmo! SEM FAZER NADA!!
    Aquilo caiu como um balde de água gelada, por um lado uma pessoa lotada de serviço e se desdobrando para dar conta, do outro eu praticamente sem fazer nada meio período!! Fiquei decepcionada com o meu chefe! Sei q tb erro, mas se eu não fizer nunca vou acertar tb! Mas o pior foi pensar q a empresa prefere o funcionário parado! E ficar assim me fez me sentir uma inútil por um bom tempo, agora tento pensar q estou aqui e fazendo o meu melhor! E nas horas vagas, tento ser melhor ainda.

    1. Prezada Magali,

      Não é assim que funciona uma empresa. Todo o pessoal deve ser aproveitado para não ficar ocioso, pois é custo não recuperável. Deve ser produtivo. Para uma empresa crescer, ela deve ajudar seus funcionários a crescer. Seus superiores devem promover a melhoria contínua para todos crescer juntos. Existe uma diferença entre líder e chefe. Procure na internet tem informação sobre isso. Vou enviar um material para vc sobre este tema. Eu sugiro que antes de ficar ociosa, procure outro emprego, não tenha medo, vai se sentir melhor emocionalmente.

      Sucesso sempre!

      Abraços!

  12. Alfredo N. da Silva

    Fazendo uma busca por acaso entrei este material extremamente pertinente ao momento que vivemos.

    Sou professor universitário e consultor técnico em Empresas e o que eu percebo por parte das Empresas é que estas estão em busca de profissionais “polivalentes” em termos de formação acadêmica, mais ainda, que possuam uma forte formação ética (o que não vem da escola, vem de casa!).

    Que acreditem em seu potencial, possuam uma postura pró-ativa, estejam afinados com a evolução e inovação tecnológica, devem ser possuidores de uma personalidade dinâmica, associada sinérgicamente à característica de “teamwork”, capaz de com flexibilidade, traduzir em um ambiente estimulante, os conhecimentos e habilidades técnicas em resultados concretos, com criatividade e comprometimento, assegurando o atingimento das metas.

    E digo mais, se as Empresas não encontrarem aqui os profissionais com este perfil, estejam certos de uma coisa, Elas os trarão de fora!

  13. Boa tarde!

    Eu sou muito tímida e tenho dificuldades em cultivar o networking.
    Você pode mencionar algumas dicas para vencer essa dificuldade?

    Obrigada!

    1. Olá Alaiza,

      Sim, tenho algumas sugestões de livros que você pode ler e outras para vencer essas dificuldades:

      – Participe dos Happy Hour mensais do PMI São Paulo. Sou participante frequente e posso ajudar na primeira vez. Veja no site a programação e me avise no meu e-mail mangelica@fixecnsulting.com

      – Leia os livros:
      O livro negro do networking – Jeffrey Gitomer
      Networking – Jose Augusto Minarelli (orientado mais à busca de emprego), com dicas interessantes.

      Para ajudar a vencer a timidez recomendo descobrir a origem, se é falta de autoestima, vergonha, bloqueios ou outra. Através da Programação Neurolinguistica poderá superá-la. Consulte no site http://www.pnl.com.br com alguem da empresa a melhor opção de treinamento para sua situação.

      Me procure se precisar de outras orientações.

      Sucesso sempre!!

      abraços!

  14. Renato da Costa

    Me formei no curso de segurança no trabalho em novembro de 2010, começei a trabalhar como técnico em segurança no trabalho no inicio de janeiro de 2011 e agora estou saindo da empresa, estou preocupado porque passei só 5 meses na empresa, gostaria de saber ser vou ter problemas em arranja outro emprego, pelo curto periodo que passei nessa empresa.

    Ananindeua/PA

    1. Olá Renato,

      Não se preocupe por esses coisas, deve analisar porque aconteceu, se concluir que faltou alguma detalhe no seu perfil, procure novos cursos e se prepare para novos desafios. Não se deprima, pense positivo e sempre procure crescer profissionalmente, em qualquer etapa da sua vida.

      Espero ter ajudado.

      Sucesso sempre!!

      Abraços!

  15. Olá Maria Angélica

    Gostei muito de ler sobre sua entrevista.

    Na empresa onde trabalho a pouco tempo fui promovida e estagnei em um setor muito trabalhoso. Acho que todos nós sempre queremos mais e esperamos crescer na empresa onde trabalhamos, então achei que a cada oportunidade que surgisse eu poderia ser encaixada na mesma. Mas isso não aconteceu. Entre as várias vagas que surgiram dentro da empresa o setor de RH chamava novos candidatos para ocupar o cargo.

    Será que devo procurar novas oportunidades ou continuar plantando para talvez colher mais tarde, já que vários profissionais estagnaram em alguns setores da empresa???

    obrigada!

    1. Olá Viviane,

      Se você faz seu trabalho com paixão, coloca vontade e gosta de faze-lo bem, estará sempre plantando, possívelmente não na empresa que não reconhece seu trabalho, mas estará plantando no seu futuro profissional. Se vc não está conforme com a sua situação atual e ve que não tem chances para o que você gostaria e sente que tem condições, não tenha medo, busque uma nova oportunidade, mas antes esclareça sua posição dentro da empresa, com RH ou com seu superior. No mercado sempre existem oportunidades para os que estão preparados e têm talento.

      Espero ter ajudado.

      Sucesso sempre!!

      Abraços!

  16. Boa noite,

    Estou procurando uma pessoas certa para pedir essa opiniao, e gracas a Deus achei voce.
    Estou enfrentando uma grande duvida em minha vida. Pois quando fiz a faculdade de RI esperava que tudo fosse muito facil, pois era nova e inexperiente, Infelizmente nao foi muito o que eu esperava. Estou trabalhando como consultora comercial de um produto de uma multinacional, porem quero crescer dentro dessa empresa pois ela alem de muito conceituada e uma otima empresa, porem quero chegar a um bom cargo que que seja dentro ou fora da empresa no qual trabalho. Quero participar ativamente do crescimento da empresa e atingir um posto que seja o que esperei, como e o caso de gerencia. porem estou em uma duvida se faco pos graduacao em administracao de empresas na FGV, ou MBM em gestao empresarial ou comercial na FGV. Gostaria muito que me ajudasse, pois e um investimento muito alto, entao espero fazer a escolha certa dessa vez. Meus pais nao tem muita condicao, e estao se esforcando para me dar isso. Quero fazer uma escolha que seja o que realmente as empresas estejam em busca hoje., e que possa me ajudar a crescer.

    1. Olá Nara,

      Considero que para escolher vc deve analisar com qual carreira conseguirá um diferencial no mercado. Se vc faz a carreira que todo mundo faz, possivelmente sua diferenciação demore em chegar. Procure sempre a conjunção: diferenciação e alternativas de mercado. No mundo globalizado atual não pense localmente, analise alternativas no exterior. Estude vários idiomas, pense também em certificações. Cultive o networking profissional através dos sites, linkedin, facebook. Se mostre. O sucesso será consequencia.
      Espero ter ajudado. Me conte os resultados algum dia.

      Sucesso sempre!!

      Abraços

  17. Eliane M. Sampaio

    Maria Angélica,

    Quem sou eu para discordar. Lendo, verifiquei que me enquadro em muitos ítens. Gosto de desafios, mas quando eu vejo algo novo, entro em pânico e desespero. Quero aprender o mais rápido possível, ser inteligente, mostrar , que sou capaz, mas não consigo me conter. Quando eu pego o serviço, vou em frente, tudo fica mais claro. Por favor, por quê este medo? Por quê o pavor do novo?

    Me ajude! Obrigada,

    Eliane

  18. Olá Sileide,

    Não tenha medos, faça o que quiser, não fique com pendências e se lamentando. Vai estudar, se realize!! A idade é um acidente. Uma vez li que o ser humano tem 3 idades: a cronológica (que eu chamo de acidente), a biológica (o que seu corpo mostra) e a psicológica (o que sua mente ve). Pense, organize, planeje e execute.

    Espero ter ajudado!!

    Grande abraço!

  19. Sileide Almeida da Silva

    Boa tarde, pessoal, me sinto envergonhada de não ter estudado na época em que era solteira e podia, hoje com 46 anos, com filhas e sem condição financeira vejo quanto tempo perdido. Trabalho numa empresa na função de recepcionista bilíngue, mas tenho frustação de não ter me formado em letras ou em secretária executiva.
    Abraços, e parabêns a todos.
    Sileide

  20. Os bloqueios e medos impedem as pessoas de auto-desenvolverem novas habilidades bem como de evoluir profissionalmente. O comodismo não pode ser cultuado, esta filosofia, dependendo da função e do perfil necessário, pode gerar em algumas pessoas uma certa ansiedade por passar muito tempo na mesma função. No cúmulo desta fascista busca da alta performance, um executivo ao chegar em uma empresa de médio porte ficaria fascinado ao ser cumprimentado pelo porteiro em quatro idiomas. Não bastasse, seria chamado pelo nome e ouviria apologias sobre seu time de futebol predileto.

  21. Dani,

    procure nas empresas de origem francês, existem associaciones dessas empresas, procure na web, investigue, consulte nos forum, grupos de discussão. Hoje através da internet você consegue as informações que precisar.

    Muito sucesso sempre!!

    Abraços!

  22. Gostei muito dos comentários neste blog e não resisti a escrever o meu. Morei nos U.S.A durante 05 anos trabalhando, tive até 03 empregos ao mesmo tempo, hoje sou Analista de Sistemas e cursando MBA em Gerenciamento de Projetos. Uso toda a minha experiência de vida nas minhas atividades e no meu desenvolvimento e acho este momento nas empresas impar. Hoje não basta ser técnico tem que ser gente e seu carácter é apreciado como jóia pelas empresas. Graças a Deus porque eu já encontrei muito gente tecnicamente excelente mas péssimos em relacionamento e não faziam nem questão de melhorar. Hoje estes não garantem seu próprio emprego. Viva o ser e o saber juntos construindo um mundo melhor.
    Abraço,
    Carlos Alberto da Silva

  23. AMIGA; ME CHAMOU A ATENÇÃO,SOBRE A FRASE DO FILÓSOFO ‘”VÁ NA DIREÇÃO EM QUE SEU MEDO CRESCE.
    VOU À PARTIR DE HOJE ACRESCENTAR NA MINHA VIDA.
    GRAÇAS à VOCÊ.BJJJJJJJJJJJJJJJJJJJ

  24. Helenice,
    Não tenha medo da web, seja clara nas explicações, objetiva no que você souber. Se quer se diferenciar aprimore seu perfil profissional com as mesmas dicas que passei para Bruno.

    Sucessos sempre!!
    Abraços!

  25. O texto está ótimo, esta claro, objetivo e interessante, me auxiliou muito em um trabalho, pois faço curso de assistencia em Recursos Humanos no SENAC RIO.
    Estou apaixonada pela área, só pretendo crescer e acrescentar meus conhecimentos nas entidades em que prestar serviço. Um abraço!

  26. Achei muito interessante e importante tudo o que foi dito no texto, bem claro e de fácil compreenção, tenho dúvidas em por exemplo preencher um curriculum na web e não ser claro onde temos que descrever o perfil profissional e inforamções complementares como me diferenciar?
    Atualmente estou cursando um curso graduado e pretendo fazer uma pós.
    Me ajude.

  27. Olá Bruno,

    Para ter sucesso na sua vida profissional, primeiro deve definir o que realmente você quer ser, qual formação básica. Estudar e se formar.
    Não termina aqui, isso só é o começo. Para ter um curriculum diferenciado deverá fazer uma pós-graduação, MBA ou curso de especialização. No Brasil tem muitas faculdades com boa reputação no mercado. Mas se tiver condições financeiras, pode fazer um MBA no exterior.
    Se ainda quer se diferenciar mais, veja as certificações que pode obter relacionadas com a sua área e especialização.
    Faça sempre networking, participe de redes sociais profissionalmente, grupos de discusão onde possa se manter atualizado do que acontece no mercado e mostre-se.
    Estude idiomas, inglês de preferência e espanhol.
    Mantenha atualizado seu Currículo na web, um site que recomendo é o linkedin.
    Busque experiência, faça um trabalho voluntário para conhecer, se necessário.
    Estando bem preparado as oportunidades aparecem. Tudo dependerá do que você quer investir em você.
    Não é simples, isso leva tempo, mas uma vez que conquistou essas metas, as chances de colocação no mercado aumentarão.

    Sucesso profissional sempre!

    Abraços!

  28. Bruno Vieira Batista

    Fiquei impressionado com tantas qualidades que um
    bom funcionário tem que ter para ser garantido no mercado .
    Para quem é novo no mercado
    Quais dicas você daria ?

  29. Não poderia deixar de comentar sobre esse texto. É sensacional. Fala claramente, o que uma pessoa precisa saber para começar a trabalhar. Muito motivador. Me ajudou bastante. Uma excelente orientação. Basicamente o que estava precisando saber. Uma ajuda simples e formidável para quem almeja uma vaga, seja ela “um peixe grande ou pequeno”. Isso só mostra o empenho que as pessoas precisam ter para trabalhar com amor. Quando citou a frase: “Vá na direção em que seu medo cresce.”, percebi que era justamente onde estava errando. Percebi, com isso, que o medo é o que nos impede. A mim, agora não impede mais. Obrigada.

  30. Não poderia deixar de fazer um comentário, simplesmente porque, esse texto é ótimo. Incrivelmente o que estava precisando ler para me achar, em meio a tantas dúvidas. É sensacional. Fala claramente, sobre um fato muito comum entre pessoas que estão querendo começar a trabalhar. Muito motivador. Um ótimo começo. Certamente me lembrarei disto, quando for aceita na empresa que almejo. Obrigada.

  31. Existe inumeros post na web com conteúdo orientado para formação de um perfil profissional contemporaneo. O que foi apresentado aqui é coerente com o tempo e necessidades do mercado. A contribuição do post nos trás uma pequena luz: amor profissional. Quanto de nós é atribuido ao trabalho? O fator emocional é mais um vez decisivo para o sucesso do individuo e da empresa.

  32. Jefferson Borges

    Encontrei o site “por acaso” . Achei o formato muito interessante , bem como a abordagem aberta e franca de quem entende do assunto. De quem é , como se dizia antigamente , “do ramo”.
    Muito bom, já salvei em meus favoritos.

    Concordo absolutamente com Gaston, e acho que a abordagem tecnicista da carreira de gerencia de projetos acaba prejudicando o próprio negócio das empresas.

    Mas , isso de fato só mudará com a divulgaçao ampla dos benefícios que o gerenciamento de projetos pode trazer.

  33. Olá Gaston, infelizmente a realidade do mercado é essa, em vários foruns de Gerenciamento de Projetos vejo esta situação colocada em discussão. Considero que se deve fundamentalmente a falta de conhecimento de quem não pertence à nossa área.
    Por isso é muito importante os gerentes de projetos divulgarem o que são as melhores práticas e para que servem, como também, as habilidades e o perfil de liderança necessário para o GP por sobre os aspectos técnicos.
    É algo que devemos mudar entre todos, através de divulgação, palestras e trabalho voluntário, tomando uma atitude proativa para conseguirmos a mudança de paradigma.

    Veja também os post deste blog sobre este assunto “O gerente de projetos precisa ser líder?” e “O que se espera do Gerente de Projetos”.

    Abraços

  34. Gaston San Martin Gajardo

    Prof. Paulete, quero parabeniza-la pela precisão na definição do perfil do Gerente de Projetos, estou plenamente de acordo.
    Todavia, verifico que continuamente a busca por Gerentes de Projetos que incluem conhecimento técnico como Linux, Window2003 Server, Banco de dados Oracle, certificações Cisco ou certificação SCRUM.
    Então eu penso o que realmente estas empresas querem? Um profissional capaz de executar a instalação do sistema operacional do servidor e a administração continua do Sistema Gerenciador de Banco de Dados, além de ser Gerente de Projetos ? Onde está o viés ? Será que as empresas estão querendo agrupar muitas qualidades de tecnicas e de gestão em um único profissional?
    Gaston San Martin, PMP / ITIL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Publicações

Categorias

_

Tags

Rolar para cima