Blog

Pulse of the Profession 2017 – Como está o desempenho de sua organização?

FIXE Projetos, Indicadores, KPIs

Por Paulo Mei

Olá, como vai? Hoje vamos falar sobre Pulse of the Profession, essa importante pesquisa global realizada anualmente pelo PMI com gestores de projetos, programas e portfólios do mundo todo. Essa pesquisa é realizada desde 2006 captando as principais tendências do gerenciamento de projetos e na edição de 2017 contou com 3.234 profissionais de gerenciamento de projetos, 200 executivos e 510 diretores de PMO em várias industrias e segmentos, abrangendo a América do Norte, Ásia, Europa, Oriente Médio e África, América Latina e Caribe.

Nos últimos anos era desanimador ver o quanto as organizações estavam estagnadas, paralisadas em um nível de maturidade e de resultados em gestão de projetos muito aquém do que deveriam e poderiam estar, o que vinha provocando perdas significativas de recursos. Desta vez, no entanto, pela primeira vez em 5 anos, mais projetos estão alcançando seus objetivos originais e sendo completados no orçamento. As organizações estão fazendo progresso significativo obtendo mais sucesso na implementação de suas estratégias.

As organizações estão obtendo mais sucesso na implementação de suas estratégias. 

O PMI sempre propagou que o gerenciamento de projetos de forma profissional é essencial para o sucesso de qualquer organização. Organizações que investem em comprovadas práticas de gerenciamento de projetos desperdiçam menos recursos financeiros porque a maioria das iniciativas estratégicas são finalizadas com sucesso. Isso está relacionado diretamente ao nível de maturidade em gerenciamento de projetos das organizações. Na pesquisa recém divulgada a taxa de sucesso dos projetos está melhorando. O nível atual de desperdício, ainda elevado, é da ordem de US$97 milhões para cada US$1 bilhão investido (9,7%), o que representa uma melhora de 20% em relação ao resultado da pesquisa do ano passado.

Se por um lado as pesquisas continuam demonstrando como as comprovadas práticas de gerenciamento de projetos, programas e portfólios levam ao sucesso dos projetos, por outro os resultados estão levando a uma evolução na própria definição de sucesso. Ficou claro que as tradicionais medidas de escopo, tempo e custo não são mais suficientes. Os projetos precisam entregar aquilo para o qual eles foram criados e aprovados, os benefícios esperados. Na atual pesquisa pela primeira vez o critério de maturidade na realização de benefícios foi adotado para se determinar o sucesso dos projetos, ao lado das medições tradicionais.

Medidas tradicionais de escopo, tempo e custo não são mais suficientes para determinar o sucesso de um projeto. 

Pelos resultados com os projetos a pesquisa identificou dois diferentes níveis de desempenho entre as organizações que responderam a pesquisa:

  • Alto Desempenho: Organizações com 80% ou mais dos projetos sendo concluídos dentro do prazo e do orçamento e atingindo as metas originais e intenção de negócios, com alta maturidade na realização de benefícios.
  • Baixo Desempenho: Organizações com 60 por cento ou menos dos projetos concluídos dentro do prazo e no orçamento e atingindo as metas originais e intenção de negócios, com baixa maturidade na realização de benefícios.

Na verdade, as organizações com alto desempenho possuem 92% de sucesso em seus projetos enquanto as de baixo desempenho apenas 33%. Além disso desperdiçam muito menos dinheiro, o que leva a crer que elas estão se tornando mais maduras nas práticas de gerenciamento de projetos. A pesquisa ainda aponta os seguintes fatores como diferenciais na conquista do alto desempenho.

  1. Prioridade no desenvolvimento tanto dos conhecimentos técnicos quanto nas habilidades de liderança. Essa prioridade foi detectada em 32% das respostas, um aumento de 3pp em relação ao ano passado.
  2. Atenção na gestão dos benefícios, identificando-os ainda no início do projeto e agindo intencionalmente durante a execução para que os mesmos sejam realizados e mantidos, mesmo quando o projeto terminar. Essa é uma preocupação crescente e já representa quase um terço dos que responderam a pesquisa.

Desenvolvimento dos aspectos técnicos, da liderança, e uma boa gestão dos benefícios do projeto. 

  1. Mais da metade das organizações que reportaram possuir um PMO na verdade possuíam um escritório corporativo. Além disso, aquelas que alinham seus escritórios corporativos à estratégia organizacional apresentam uma taxa de sucesso bem maior, com 38% a mais de seus projetos atingindo as metas originais e intenções de negócio, e 33% a menos de seus projetos são considerados falhos.

FIXE_Pulse_of_the_profession-1

 

  1. O engajamento e patrocínio da alta gestão continua sendo o principal direcionador para que os projetos atinjam seus objetivos originais e metas de negócio. A pesquisa deste ano revela um aumento no número de organizações com patrocinadores ativamente engajados, passando de 59% para 62%.

PMO corporativo alinhado à estratégia e executivos engajados são fatores de sucesso com os projetos. 

  1. Das organizações pesquisadas, 11% já adota exclusivamente técnicas ágeis de gestão de projetos e 29% utiliza frequentemente, ao lado de métodos tradicionais.

Veja abaixo um quadro resumo dos resultados obtidos por uma organização de alto desempenho em relação a uma organização de baixo desempenho.

FIXE_Pulse_of_the_profession_2

A percentagem de organizações que oferecem formação e desenvolvimento permaneceu estável nos últimos cinco anos. Das organizações pesquisadas 60% proporcionam treinamento nas técnicas e ferramenta de gestão de projetos, mas menos da metade possui um programa formal para desenvolvimento das competências, com um plano de carreira definido para os gerentes de projetos. Desnecessário dizer que as organizações de alto desempenho são as que mais investem na capacitação de seus colaboradores, privilegiando o desenvolvimento das técnicas em gestão de projetos, liderança e gestão estratégica de negócios.

Se quiser saber mais detalhes e se aprofundar nos resultados desta pesquisa, acesse a versão original em inglês diretamente no site do PMI clicando no link abaixo. É de graça e não precisa ser associado para ter acesso a esse e outros conteúdos interessantes.

Pulse of the Profession 2017 – Link para download no site do PMI

E como tem sido com seus projetos? Os bons resultados têm sido preponderantes, colocando sua organização entre as de alto desempenho? Se não for bem assim, qual dos fatores apresentados na pesquisa Pulse of the Profession 2017 do PMI® ainda precisam ser melhorados para que a estratégia seja implementada e os resultados de negócio almejados apareçam e atendam às expectativas dos executivos, investidores e outros importantes stakeholders? Compartilhe conosco suas experiências e como sua organização se encontra frente a essa pesquisa e como tem se organizado para obter os resultados desejados com os projetos. Comente no espaço abaixo e clique em “Publicar também no Facebook” para compartilhar esse assunto com um número maior de colegas.

Bons Projetos!

Artigo original publicado no blog do Paulo Mei.

Sobre o autor

Foto Paulo Mei - Baixa ResoluçãoPaulo Mei, MBA, PMP. Consultor, instrutor e professor em gestão de projetos e portfólios, além de membro da diretoria do PMI de São Paulo atuando no Conselho de Governança. Graduado em Administração de Empresas com ênfase em finanças, MBA pela FAAP e mestrando em Empreendedorismo pela FEA/USP. Foi responsável nos últimos vinte anos por grandes projetos no Brasil e no exterior (projetos offshore) e pela implantação de Escritórios de Projetos para empresas de vários segmentos.

É autor dos livros Gerenciamento da Integração em Projetos (Elsevier; 2013) e PM Mind Map® – A gestão descomplicada de projetos (Brasport; 2015).

Contato: paulomei@paulomei.com.br ou contato@pmmindmap.com.br

Gostou?? Compartilhe!!

 

Compartilhe esse post:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Publicações

Categorias

_

Tags

Rolar para cima